top of page

North Korea's Shelling Spree Sparks Tensions

North Korea is firing shells near the western maritime border for the third day straight, and it's causing quite a commotion. Despite South Korea wanting to “knock it off”, North Korea seems to be ignoring the inter-Korean military agreement from back in 2018.

A Coreia do Norte está disparando conchas perto da fronteira marítima ocidental pelo terceiro dia consecutivo, e isso está causando bastante tumulto. Apesar da Coreia do Sul querer "parar com isso", a Coreia do Norte parece estar ignorando o acordo militar intercoreano de 2018.


The latest gig involved shooting around 90 shells north of South Korea's front-line island of Yeonpyeongdo between 4 p.m. and 5:10 p.m. local time, as per South Korea's Joint Chiefs of Staff (JCS). The JCS is all serious, issuing a stern warning against North Korea's persistent artillery firing into buffer zones, talking about the substantial threat to peace on the Korean Peninsula and urging an immediate stop.

A última empreitada envolveu o disparo de cerca de 90 conchas ao norte da ilha de Yeonpyeongdo, na linha de frente da Coreia do Sul, entre 16h e 17h10, horário local, conforme informado pelos Chefes de Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul (JCS). O JCS está bem sério, emitindo um aviso severo contra os persistentes disparos de artilharia da Coreia do Norte em zonas-tampão, falando sobre a ameaça substancial à paz na Península Coreana e instando a uma parada imediata.



Los Angeles Time


Thankfully, there's no news of North Korean artillery shells going south of the Northern Limit Line (NLL) in the West Sea, which is basically the inter-Korean maritime border. Plus, no casualties reported on the South Korean side.

Felizmente, não há notícias de conchas de artilharia norte-coreanas indo ao sul da Linha Limite do Norte (NLL) no Mar Ocidental, que é basicamente a fronteira marítima intercoreana. Além disso, não há relatos de vítimas do lado sul-coreano.


To deal with this mess, South Korea's military is skipping the whole back-and-forth firing thing. Instead, they're playing it cool, closely watching North Korea and keeping a strategic response posture. It's like they're saying, "We see what you're up to, but we're not taking the bait." This whole thing kicked off on Friday when North Korea went all out, firing about 200 artillery shells near South Korea's front-line islands. South Korea wasn't having it and fired back in a "tit-for-tat" live-fire drill, making folks on the islands run for cover.

Para lidar com essa confusão, as Forças Armadas da Coreia do Sul estão pulando a coisa de disparos de vai e vem. Em vez disso, eles estão agindo de boa, observando de perto a Coreia do Norte e mantendo uma postura de resposta estratégica. É como se estivessem dizendo: "Vemos o que vocês estão fazendo, mas não estamos caindo na provocação". Tudo começou na sexta-feira, quando a Coreia do Norte partiu para o tudo ou nada, disparando cerca de 200 conchas perto das ilhas da linha de frente da Coreia do Sul. A Coreia do Sul não aceitou e disparou de volta em um exercício de tiro ao vivo "olho por olho", fazendo com que as pessoas nas ilhas se abrigassem.



NPR


Kim Yo-jong, the big sister of North Korea's leader, Kim Jong-un, says they were just playing with simulated explosive charges. A wild game of "who's telling the truth?" South Korea's Joint Chiefs of Staff, however, dismisses Kim’s statement as “vulgar instigation”. The JCS strongly cautions against North Korea's military activities, emphasizing the imperative for an immediate cessation to prevent further escalation of tensions along the border.

Kim Yo-jong, a irmã mais velha do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, diz que estavam apenas brincando com cargas explosivas simuladas. Um jogo louco de "quem está dizendo a verdade?" Os Chefes de Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul, no entanto, rejeitam a declaração de Kim como "instigação vulgar". O JCS adverte veementemente contra as atividades militares da Coreia do Norte, enfatizando a necessidade de uma cessação imediata para evitar uma escalada adicional de tensões na fronteira.


As both sides engage in a war of words and present conflicting narratives, the rest of the world is watching like it’s a soap opera, urging strategies to diffuse tensions and maintain stability in the region. Anyone up for some diplomacy?

Enquanto ambos os lados se envolvem em uma guerra de palavras e apresentam narrativas conflitantes, o resto do mundo está assistindo como se fosse uma novela, instando estratégias para dissipar as tensões e manter a estabilidade na região. Alguém está afim de um pouco de diplomacia?


Author: Larissa Mejia

Translation: Larissa Mejia (BR)


14 views0 comments

Comments


bottom of page