top of page

Han Kang's "I Do Not Bid Farewell" Sweeps French Literary Awards

In a literary coup, acclaimed South Korean novelist Han Kang has conquered the hearts of French literature enthusiasts. Her magnum opus, "I Do Not Bid Farewell," has made the final cut for not one, but two of France's most esteemed literary awards. The thrilling news, revealed by her Korean publisher, Munhakdongne, is that Han Kang's work is now a finalist for both the Prix Femina and the Prix Medicis, two coveted honors that have an exalted status alongside the Prix Goncourt and the Prix Renaudot.


Numa façanha literária, a aclamada escritora sul-coreana Han Kang conquistou os corações dos entusiastas da literatura francesa. Sua obra-prima, "I Do Not Bid Farewell," chegou à reta final de dois dos mais prestigiosos prêmios literários da França. A notícia eletrizante, revelada por sua editora coreana, Munhakdongne, é que a obra de Han Kang agora é finalista tanto para o Prix Femina quanto para o Prix Medicis, duas honrarias cobiçadas que desfrutam de um status elevado ao lado do Prix Goncourt e do Prix Renaudot.

koreabizwire


The Prix Femina for foreign literature, initiated in 1985, distinguishes the best foreign-language works translated into French each year. The Prix Medicis for foreign literature, an offshoot of the Prix Medicis established in 1970, is all about celebrating innovative and experimental literary works. "I Do Not Bid Farewell" fits the bill perfectly, capturing the spirit of literary exploration. This isn't Han Kang's first tango with fame in France. Her novel "Greek Lessons" earned her a nomination in 2017, and she's back with a bang, vying for these prestigious literary crowns. Mark your calendars for the grand revelations: the Prix Femina winner on November 6 and the Prix Medicis winner on November 9. These dates are sure to set the literary world abuzz.



O Prix Femina de literatura estrangeira, iniciado em 1985, destaca as melhores obras em língua estrangeira traduzidas para o francês a cada ano. O Prix Medicis de literatura estrangeira, uma extensão do Prix Medicis estabelecido em 1970, celebra obras literárias inovadoras e experimentais. "I Do Not Bid Farewell" se encaixa perfeitamente nesse perfil, capturando o espírito da exploração literária. Esta não é a primeira vez que Han Kang se destaca na França. Seu romance "Greek Lessons" lhe rendeu uma indicação em 2017, e ela está de volta com força total, competindo por essas prestigiosas coroas literárias. Marque seus calendários para as grandes revelações: o vencedor do Prix Femina em 6 de novembro e o vencedor do Prix Medicis em 9 de novembro. Essas datas certamente vão agitar o mundo literário.



The Korea Herald


"I Do Not Bid Farewell," a substantial offering from Han Kang in 2021, showcases her return to the literary stage, five years after her International Booker Prize win in 2016. The novel unravels the grim tale of the 1948 civilian massacre on South Korea's Jeju Island through the eyes of three resilient women. In this dark chapter of history, the South Korean government, under U.S. military influence, twisted the April 3, 1948, Jeju Island uprising, labeling it a communist rebellion and unleashing a massacre that claimed an estimated 14,000 to 30,000 lives, accounting for a staggering 10 percent of the island's population at the time.


“I Do Not Bid Farewell," uma obra substancial de Han Kang lançada em 2021, marca seu retorno ao cenário literário, cinco anos após sua vitória no International Booker Prize em 2016. O romance desvenda a história sombria do massacre civil de 1948 na Ilha de Jeju, na Coreia do Sul, pelos olhos de três mulheres resilientes. Neste capítulo sombrio da história, o governo sul-coreano, sob a influência militar dos EUA, deturpou a revolta da Ilha de Jeju em 3 de abril de 1948, rotulando-a como uma rebelião comunista e desencadeando um massacre que vitimou estimadas 14.000 a 30.000 pessoas, representando impressionantes 10 por cento da população da ilha na época.


The French translation of "I Do Not Bid Farewell" by Grasset, released in September under the title "Impossibles adieux," has propelled Han Kang's narrative to a global audience. This translation is a testament to her enduring literary prowess and ability to reach readers around the world.


A tradução francesa de "I Do Not Bid Farewell" pela Grasset, lançada em setembro sob o título "Impossibles adieux", levou a narrativa de Han Kang a um público global. Essa tradução é um testemunho de sua duradoura maestria literária e capacidade de alcançar leitores ao redor do mundo.




Literary Hub


As we eagerly await the outcomes of these prestigious French literary awards, one thing is abundantly clear: Han Kang's "I Do Not Bid Farewell" is a literary sensation that transcends borders, captivating audiences with its compelling storytelling and powerful themes. The novel stands as a shining example of the timeless influence of literature in enlightening minds and crossing cultural boundaries. Han Kang's journey continues to inspire readers globally.


Enquanto aguardamos ansiosamente os resultados desses prestigiosos prêmios literários franceses, uma coisa fica abundante: "I Do Not Bid Farewell" de Han Kang é uma sensação literária que transcende fronteiras, cativando audiências com sua narrativa envolvente e temas poderosos. O romance é um exemplo brilhante da influência atemporal da literatura em iluminar mentes e ultrapassar fronteiras culturais. A jornada de Han Kang continua a inspirar leitores em todo o mundo.


Author: Larissa Mejia

Translation: Larissa Mejia (BR)

Queries: nglforum4@gmail.com

21 views0 comments

Comments


bottom of page